Sobre a ABEH

A Associação Brasileira de Ensino de História – ABEH constitui-se, inicialmente, em 2006 no VII Encontro Nacional de Pesquisadores do Ensino de História, realizado em Belo Horizonte, Minas Gerais, nas dependências da Universidade Federal de Minas Gerais, com o objetivo de congregar professores pesquisadores que têm como campo de pesquisas o Ensino de História, no entrecruzamento de duas áreas de conhecimento, Educação e História. O registro do estatuto da ABEH ocorre em 14 de janeiro de 2009, data de fundação oficial da Associação.

A ABEH tem por objetivos a) congregar profissionais que atuem e/ou pesquisem ensino de História , em todas as suas perspectivas e em todos os níveis de escolaridade; b) apoiar a realização de eventos e fóruns de debates e, em especial, manter a continuidade da realização dos Encontros Nacionais do ensino de História (Pesquisadores do Ensino de História e Perspectivas do Ensino de História), garantindo a essas reuniões cientificas sua sequência bienal; c) contribuir para todos os debates relativos a elaboração e implementação de políticas públicas, para todos os níveis de ensino, na área de ensino de história; d) promover o diálogo entre a ciência de referência, a área de educação e demais ciências afins, estimulando a participação de seus membros em diferentes fóruns, associações científicas e eventos que tratem de questões relativas à história e seu ensino; e) manifestar-se quanto aos usos públicos e sociais relacionados ao ensino de história; f) apoiar e atuar em atividades de formação no campo do ensino de história; g) estimular a pesquisa em ensino de história nas suas diferentes temáticas e abordagens e h) contribuir para a melhoria da educação brasileira.

A Associação é composta por associados fundadores, associados doutores, associados pós-graduandos e associados graduandos, com formação e/ou atuação na área da História e de seu ensino.

Sobre a história do ENPEH

O I Encontro Nacional de Pesquisadores do Ensino de História aconteceu em 1993, na Universidade Federal de Uberlândia, e objetivou congregar pesquisadores, professores universitários e pós-graduandos que têm o ensino de História como seu campo de pesquisa.

As temáticas que têm sido debatidas ao longo dos dez eventos anteriores evidenciam a trajetória das discussões que tem permeado esse campo de pesquisas, bem como revelam que as áreas de conhecimento da História e da Educação constituem campos diversos, mas com fronteiras que se interpenetram e interpelam ao serem mobilizadas na efetivação do ensino e da aprendizagem escolar e não escolar da história.

Na perspectiva da discussão do objeto de pesquisa do Ensino de História, o tema “O ensino de História como objeto de pesquisa”, orientou o primeiro ENPEH, que objetivou discutir um estatuto científico para o campo da pesquisa em ensino de história.

Na sequência dos eventos, as temáticas pertinentes à História e ao Ensino continuaram a evidenciar o que vinha sendo produzido nos programas de pós-graduação em Educação e em História. Assim, em 1995 foi dado prosseguimento à discussão iniciada em 1993, e, no II ENPEH, organizado pela Faculdade de Educação e Departamento de História da Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro, foi definido como objetivo propiciar a troca de experiências entre os profissionais da área, a fim de refletir sobre a importância dos diferentes temas, problemas e métodos de pesquisa para o aprofundamento dos estudos relativos ao objeto do Ensino de História no Brasil, mantendo a interface entre Educação e História como campos em diálogo. No II ENPEH também foi discutida a viabilidade de oferecer condições para a constituição de um espaço em que os profissionais articulados possam garantir, em diferentes níveis e esferas, o constante intercâmbio e interlocução de pesquisa na área.

O III ENPEH ocorreu na Faculdade de Educação da Unicamp, em 1997, em Campinas. O evento, em sua terceira edição, propunha definir, ampliar e aprofundar a problemática referente a temas, a procedimentos metodológicos, a fontes de pesquisa pertinentes ao ensino de história. Mediante a ampliação de pesquisas foi organizado um Catálogo dos Pesquisadores sobre o Ensino de História, com o levantamento de pesquisas e pesquisadores brasileiros, com o objetivo de conhecer “parceiros e caminhos tomados pelo ensino de história”. Também, neste evento, pela primeira vez foram organizados grupos de trabalho segundo as linhas de pesquisa e interesse dos pesquisadores da área: formação de professores, produção de conhecimento histórico, currículo, identidades culturais e memórias locais, história da América, história do Ensino de História, linguagens alternativas do ensino de história e livro didático (MESQUITA, 2008, p. 197).

Na continuidade da efetivação dos Encontros de Pesquisadores do Ensino de História, foi mantida a postura de realizar o evento em diferentes regiões do país, como forma de socializar o que era produzido e possibilitar que novos núcleos e grupos de pesquisa em Ensino de História se efetivassem no país. Assim, o IV ENPEH ocorreu em 1999, na Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul em Ijuí. Fortalecer o espaço de interlocução entre os pesquisadores nesta área que se revela cada vez mais importante, neste momento, da história da humanidade, rica em transformações econômicas, sociais, políticas e culturais, foi um objetivo do evento.

O V ENPEH foi realizado em João Pessoa, na Universidade Federal da Paraíba, em 2001, dedicou espaço ao aprofundamento dos debates e a troca das mais diversas e ricas experiências envolvendo a práxis e o pensar teórico, oriundos de profissionais que têm no ensino de história o fundamento do seu oficio.

Já o VI ENPEH ocorreu em Londrina, na Universidade Estadual de Londrina, em 2003. Na oportunidade, na sexta edição, foi feito um balanço dos significados do trabalho desenvolvido ao longo dos 10 anos de reflexões e a troca de experiências.O tema foi: “10 anos: Um balanço”. Nesse evento, as pesquisas apresentadas ao longo dos dez anos de instituição do evento mereceram uma edição especial disponibilizada a todos os participantes.

O VII ENPEH foi realizado em 2006, na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte, com a temática “ENPEH: Novos problemas e Novas abordagens”. O Evento ressaltou a especificidade do campo e a ampliação de fronteiras teórico-metodológicas que têm caracterizado a trajetória histórica da produção dos pesquisadores do Ensino de História. Dentre os seus objetivos, destacou-se a necessidade deampliar e consolidar relações entre pesquisadores brasileiros e pesquisadores estrangeiros. Na sétima edição, pela primeira vez, ficou evidente a preocupação dos organizadores em estabelecer diálogos com pesquisadores de outros países. Assim, pesquisadores da França e de Portugal participaram do encontro e a partir desse momento, outras interlocuções sobre o Ensino de História foram possibilitadas com países da Europa e da América Latina.

O VIII ENPEH, realizado na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, em 2008, em São Paulo, foi dedicado às “Metodologias e Novas abordagens”. Manteve-se o objetivo de contribuir para a troca de ideias e de experiências de pesquisa, no sentido de clarificar a metodologia utilizada na produção do conhecimento dos diferentes temas que compõem a área de ensino de História. Nesse encontro reafirmou-se a discussão internacional com a presença de pesquisadores da Europa e América Latina na discussão de temáticas relativas às metodologias e novas abordagens do Ensino de História.

O IX ENPEH aconteceu em 2011, no Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis. O tema da nona edição foi América Latina em Perspectiva: culturas, memórias e saberes. O evento objetivou afirmar o debate teórico e metodológico da área e estimular, na perspectiva interdisciplinar, a produção e difusão do conhecimento sobre Educação, História e o seu ensino, no Brasil e na América Latina. Como a própria temática indicou, nesse encontro, o diálogo com a América Latina foi priorizado como um campo privilegiado de interlocução sobre o Ensino de História entre o Brasil e os demais países latino-americanos.

De uma maneira geral, a partir de 2006, no campo do Ensino de História, foi intensificada a interlocução sobre o Ensino de História entre diferentes países. Esse diálogo tem possibilitado o intercâmbio entre programas de pós-Graduação, contribuindo para a ampliação e qualificação do debate.

O X ENPEH, em 2013, que aconteceu na Universidade Federal de Sergipe, elegeu como temática do evento o âmbito de “Políticas e Práticas do Ensino de História”. Além de continuar o debate sobre o Ensino de História, o evento foi organizado com objetivos que resultaram de discussões realizadas em outras edições, bem como de debates protagonizados pelas Associações de pesquisadores e sindicatos docentes no Brasil. Além disso, esse evento foi comemorativo aos vinte anos de Encontro Nacional de Pesquisadores do Ensino de História, e tornou possível, portanto, celebrar e reafirmar a pesquisa no Ensino de História como um campo de conhecimento.

O XI ENPEH, realizado em 2017 na Universidade Federal do Rio de Janeiro, elegeu como temática “Pesquisa em ensino de história: desafios de um campo de conhecimento”. Esta opção deveu-se ao reconhecimento do crescimento significativo do número de pesquisadores e grupos de pesquisas que assumem o ensino de história como linha de pesquisa no século XXI, principalmente, desde 2010, e cuja produção de pesquisa tem sido divulgada nos principais periódicos brasileiros (GONÇALVES; MONTEIRO, 2017).

Ao acompanharmos a trajetória histórica da realização do evento, é possível observar que nos primeiros encontros a preocupação esteve centrada na delimitação do objeto de estudo, sendo considerada a interface das temáticas da educação e da história que incidem na constituição de um campo de pesquisas. Contudo, a construção teórica que os pesquisadores vêm desenvolvendo ao longo do tempo tem evidenciado que, ao ser ampliada a discussão do campo do Ensino de História, englobando temáticas que antes lhe eram mais distantes, temas que se referem às finalidades do Ensino de História precisam ser retomados, reexaminados e reafirmados como questões das políticas públicas, do currículo, da didática, das demandas sociais e, também, dos encaminhamentos teóricos e  metodológicos selecionados e definidos.

Em contexto de reformas que colocam em questão o ensino da disciplina História na educação básica, propor a discussão dos desafios da pesquisa em Ensino de História como campo de conhecimento busca atender a demandas que têm permeado as discussões sobre as reestruturações curriculares em curso no Brasil e as disputas por hegemonia sobre esta produção. Expressa, também, o anseio de reafirmar o papel do Ensino de História na formação da cidadania, formação essa que passa pelas práticas do ensino de história para o desenvolvimento de posturas políticas em relação à vivência cidadã e que precisam das contribuições da pesquisa para compreensão de seus desafios e dilemas.

Ampliar e garantir a interlocução de pesquisadores em Ensino de História sobre os desafios e perspectivas das pesquisas em desenvolvimento nos programas de pós-graduação no Brasil, é um dos objetivos dessa edição. Como um segundo objetivo, propõe-se discutir e afirmar a potencialidade da “área do ensino de história” como campo de conhecimento, em contexto no qual tem sido interpelada e ameaçada pelas políticas públicas que orientam práticas curriculares para o Ensino de História no país, como forma de reafirmar o direito ao conhecimento do passado por todos os cidadãos.